A Carregar
Conteúdos

Este conteúdo não existe no idioma que tinha seleccionado.

Pensar globalmente, agir localmente

Christian Minzolini, Senior Country Officer na Polónia explica, em entrevista à World Finance, como a diferenciação constitui um factor de elevada importância para o sucesso do BESI na Polónia, onde iniciou a sua actividade em 2008.

“Sendo um banco português chegado já tarde a este mercado, e ainda para mais no início da crise financeira, tinha forçosamente de ser diferente para conseguir sobreviver.

Neste contexto, optámos por uma abordagem one stop shop de banca de investimento, desenvolvendo uma estratégia local e contando com o apoio de um Grupo internacional. Num país onde ser “local” é fundamental, a nossa equipa de 60 profissionais polacos, suportada pelo sólido trabalho de equity research desenvolvido localmente, concentra a sua atenção nos Clientes locais, maioritariamente investidores corporate e institucionais Tier 1 e Tier 2, a quem propõe soluções alternativas nas vertentes de acções e dívida, quer sugerindo produtos do sector público polaco, nomeadamente produtos de renda variável do mercado primário (IPOs, SPOs, ABBs…), ou produtos do mercado obrigacionista polaco e do mercado de eurobonds, no lado da dívida, ou alternativas do sector privado, tais como F&A, Assessoria de Corporate Finance e aconselhamento e financiamento de Project Finance.

A influência da equipa de Equity Research (actualmente a seguir mais de 100 empresas locais, das quais 60 cotadas na Bolsa de Varsóvia) tem sido determinante, permitindo cimentar a credibilidade do Banco junto dos investidores institucionais locais, que a elegeram como uma das melhores Equipas de Research na Polónia em 2014 (2º lugar). Alavancada na capacidade de colocação do Grupo BESI, a equipa de Equity Research conseguiu convencer o Tesouro Polaco a atribuir ao Banco um papel de destaque no Programa de Privatizações durante os últimos quatro anos (Accelerated Bookbuilding (ABB) da Tauron, IPO do BGK, ABB do PKO BP e IPO da Energa, para citar apenas algumas das operações realizadas).

A confiança e reconhecimento do Estado Polaco abriram o caminho para o desenvolvimento da nossa actividade junto do sector privado, como o demonstra a nossa actuação como Global Coordinator no IPO da Masterlease...Paralelamente ao desenvolvimento da nossa actividade na vertente de Acções, uma relação de proximidade com os investidores institucionais locais permitiu-nos participar na criação do mercado obrigacionista polaco local, que tem registado um forte crescimento nos últimos anos, impulsionado essencialmente pelos Fundos de Pensões Privados (OFE). Este mercado constitui actualmente a maior fonte das receitas do Banco."

Christian Minzolini, Senior Country Officer, Polónia